Pesquisar
Close this search box.

O que é bem de família?

O que é bem de família? Esse bem pode ser penhorado?

Bem de família é um patrimônio que deve ser protegido por ser necessário para se viver com dignidade.

Ou seja: é considerado algo que dá às pessoas uma mínima e digna condição de vida, que é ter um lugar para morar.

Por isso, não pode ser tomado à força, não pode ser alvo de penhora e leilão para pagamento da dívida.

Nesse sentido, os requisitos para proteção legal do Bem de Família são:

  • Imóvel residencial
  • O devedor deve residir no imóvel

Em razão disso, há a impenhorabilidade do bem de família, buscando proteger o único patrimônio da família.

Contudo, se o devedor possuir mais de um imóvel residencial, será considerado bem de família aquele que tiver menor valor.

Bem de família pode ser penhorado?

Algumas pessoas oferecem esse imóvel como garantia de pagamento de empréstimos e financiamentos.

Porém, o imóvel residencial é um bem necessário à sua subsistência.

Em regra, mesmo que uma pessoa possua dívidas, ela não poderá perder a sua casa.

Então, salvo algumas exceções previstas nas leis, sua casa não pode ser usada para quitar esse débito.

Diferentes formas para se classificar o bem de família

No Direito brasileiro, há duas formas de se classificar um bem de família: convencional e legal.

Vou explicar de forma detalhada:

  • Na forma convencional, a família escolhe qual imóvel será protegido. Porém, os interessados devem comparecer ao cartório de imóveis para declarar a situação do bem em escritura pública. Dessa forma, é gerada a inalienabilidade e a impenhorabilidade do imóvel. Contudo, ainda que seja considera um bem de família, existirá a possibilidade de penhora em determinados casos – exemplo: ausência do pagamento de tributos;
  • Na forma legal, a Lei nº 8.009/90 diz que o imóvel residencial, que próprio de determinada entidade familiar, é impenhorável e não responde por qualquer tipo de dívida. Portanto, não é necessário nenhum registro prévio, pois esse bem de família é previsto na lei e não por vontade das partes.

Por fim, é importante saber que cada situação deve ser analisada de forma individual, visto que pode haver exceções e, assim, seu bem poderá ser penhorado e leiloado.

Conclusão

O bem de família é aquele que deve ser protegido, por ser um patrimônio mínimo necessário para se viver com dignidade.

Por isso, não pode ser tomado à força, não pode ser alvo de penhora, através da apreensão judicial e venda forçada do bem através de leilão.

Mesmo assim, você deve ter um acompanhamento jurídico qualificado, pois pode haver exceções nessa proteção do seu imóvel.

Equipe de Advogados especialistas na defesa de patrimônios

A equipe de advogados do escritório João Domingos Advogados é altamente capacitada para atuar na defesa dos seus bens.

Postagens do Blog

Blog JD

A realidade sobre a Recuperação Judicial no Agronegócio

A criminalização dos produtores rurais que recorrem à recuperação judicial no agronegócio tem sido um tema de crescente preocupação. Essas acusações de que eles são responsáveis pelo aumento do custo do crédito no Brasil são controversas. Neste artigo, vamos desmistificar essas alegações e apresentar dados concretos.

Leia mais »
Blog JD

Isenção de ICMS na Transferência de Gado: Uma Vitória que o produtor rural não sabia

A transferência de gado entre diferentes fazendas do mesmo proprietário é uma prática rotineira no setor agropecuário. Porém, essa atividade essencial enfrentava desafios significativos devido à cobrança indevida de ICMS, especialmente quando envolvia propriedades situadas em estados distintos. Um recente cenário vem surgindo, trazendo alívio e benefícios substanciais para os produtores rurais.

Leia mais »
Blog JD

Alienação Fiduciária de Bem Imóvel: Vantagens e Riscos

A alienação fiduciária de bem imóvel é uma prática financeira que gera muitas dúvidas: é algo positivo ou negativo? Devemos temê-la ou desejá-la? A resposta depende do ponto de vista.

Perspectiva do Tomador de Crédito

Se você está buscando crédito junto a uma instituição financeira e a alienação fiduciária é exigida como garantia, é preciso ter cautela.

Leia mais »